Já encontrou a magia hoje?

IMG_2212Eu aprecio muito as pequenas coisas que nos instigam diariamente a ser quem nós desejamos, a buscar as coisas que podem nos trazer um sorriso. Às vezes gosto de parar e ficar um tempão pensando no tipo de estímulo que as pessoas encontram… É um esforço pensar além daquilo que faz bem pra nós mesmos, mas é necessário.

Pra mim, por exemplo, é simples encontrar alegria e estímulo em um trecho de alguma música, em uma cena de um filme ou série, num avião passando, no vento balançando as folhas das árvores, naquele trecho marcante de algum livro… Enfim, eu posso perceber essas sutilezas em uma porção de coisas e creio que vocês também, mas não é extremamente mágico pensar que pra cada um de nós essas coisas tem pesos diferentes?

Encontrar essas coisas, identificá-las, se sentir preenchido por elas é uma busca constante e os resultados, quase sempre, misteriosos e encantadores. Por isso quis vir aqui hoje, por isso quis lembrá-los das sutilezas dos dias – sim, muitas vezes precisamos estar conscientes e prestar a devida atenção nelas, a atenção que de fato merecem pelo bem que nos proporcionam –, na esperança de cada um de vocês, leitores que dividem esse momento comigo, possa encontrar algo maravilhoso no dia de hoje, no de amanhã e nos que ainda estiverem por vir…

Beijos e até o próximo post! 🐞❤

7 memories | A semana em registros fotográficos #26

Oi, leitores amados! Como estão hoje? Espero que muito bem!
Já é finalzinho de tarde, mais um domingo que passa e mais um dia dos pais também. Aliás, já felicitaram o de vocês hoje? Façam isso, se possível… ^_^ Enfim, cá estou pra trazer pra vocês as fotografias de costume. Vamos vê-las juntos?

IMG_1876 IMG_1910 IMG_6548 IMG_2042 IMG_6650 IMG_2156 IMG_21251. O meu cabelo normalmente tem três cores fantasia – rosa, roxo e azul –, mas às vezes sinto vontade de priorizar algum dos tons ou fazer misturas. Nessa foto, como vocês podem ver, escolhi ressaltar o roxo e seus vários tons. Gostaram? 
2. Posso dizer com certeza que essa foto reúne um milhão de referências fofas que sempre tento incorporar na minha vida e nos meus dias, assim eles ficam mais mágicos e felizes. 
3. Gosto dessa foto especialmente pelo detalhe das estrelinhas na maquiagem que eu tinha feito no dia. Sempre me sinto uma fada quando elas estão presentes. (E o cachecol enrolado no rosto entrega o frio do dia hehe).
4. Já faz tempo que o volume 9 de Aoharaido foi lançado, mas eu precisava colocá-lo aqui junto das memórias preciosas que registrei. Essa história sempre me deixa pensando no que importa pra mim… 
5. Moranguinho que fez parte de um dos cafés dessa semana. Achei que o resultado ficou bem delicado. E vocês?
6. Maquiagem especialmente feita para ir assistir ao filme Esquadrão Suicida que, apesar dos pesares, me deixou bastante animada. Vocês viram?   
7. Um dos meus amados postais de Tonari no Totoro. Faz um tempão que os comprei, mas sempre que olho volto a sentir o mesmo conforto da primeira vez. 

Espero muito que as fotos possam ter animado vocês pelo menos um pouquinho.
Beijos e até o próximo post!

Minhas ternurinhas | Nova seção no canal

MINHAS TERNURINHASEis que decido criar novas seções, não só aqui dentro do blog (como o 7 memories, por exemplo), mas também no YouTube. Elas vão ser apresentadas a vocês aos poucos, conforme eu for montando e terminando de decidir os detalhes sobre cada uma delas.

Hoje eu quero que o post seja não só pra dividir a notícia com vocês, mas também para apresentar a primeira dessas novas seções: a “Minhas ternurinhas”, que estará presente no meu canal (que, por sinal, se você ainda não conhece, é esse aqui). Essa seção será a responsável por unir os vídeos que faço me baseando na ideia de “curtas felizinhos sobre os meus dias”, ou seja, uma reunião das gravações feitas pensando em detalhes que percebo e/ou valorizo ao longo dos dias.

Eu já tenho alguns vídeos nesse estilo lá no canal, no entanto só agora decidi transformar isso em um segmento concreto. Eu espero que vocês acompanhem e gostem dessa novidade.

E, pra quem ainda não conhece o formato, cá está o primeiro vídeo – que foi ao ar hoje – e que servirá de exemplo.

Obrigada pelo carinho de sempre!
Beijos e até o próximo post! 🐼💕

Desistir por pensar demais

 

IMG_0788 copyVendo algumas marcações que coloquei no meu exemplar de Manual de sobrevivência dos tímidos surgiu a vontade de escrever esse post aqui e encontrar outros integrantes desse grupo. Afinal, como o próprio Bruno Maron nos diz, os tímidos estão por aí, mesmo que em alguns momentos nós achemos que somos os únicos ou os “mais afetados” pela timidez.

Relembrar minhas passagens favoritas acabou me motivando a vir escrever (obrigada por isso, Bruno) sobre as ausências que poderiam ser presenças. Calma que já explico melhor.

Sabe aquelas situações em que sentimos uma espécie de ímpeto pra fazer as coisas e, por pensar demais nas consequências delas, acabamos desistindo? E pior, depois isso vira um arrependimento? É disso que o Bruno fala no tópico sobre ensaios psíquicos. Sobre os efeitos colaterais da timidez, o autor comenta que “Pensar demais é dar tempo para os resultados negativos mostrarem seus infinitos desdobramentos”. Esse pessimismo, essa ideia de que as coisas estão fadadas a dar errado acaba nos fazendo desistir de muitas das nossas ideias e nós nunca vamos saber que caminhos elas tomariam porque sequer demos chance pra que algo acontecesse – e essas ideias nem precisam ser aquelas megalomaníacas (do tipo que surgem na hora do banho), podem ser as mais simples mesmo.

No meu caso esse “pensar demais” acaba afetando a produtividade de conteúdo, por assim dizer. Vocês sabem que eu já tenho o blog há bastante tempo e recentemente criei também um canal no YouTube. E outra coisa que vocês também já devem saber é que em alguns momentos uma ausência se instala nesses canais – às vezes por motivos mais práticos (e meu exemplo mais recente disso é ficar sem internet) e outras porque eu simplesmente me cobro demais ou, se preferirem, me saboto demais.

Isso é algo que me incomoda bastante e também não é sempre controlável, infelizmente. Eu poderia, por exemplo, relembrar os trechos do livro e só imaginar como seria um post dividindo isso com vocês, mas quis que isso se concretizasse, que existisse em algum lugar além da minha mente. Eu também quero gravar um vídeo comentando sobre esse livro e espero que esse post me faça lembrar dessa vontade – mesmo que eu sempre vá achar que “podia ter sido melhor”.

Hoje eu resolvi seguir com o planejado e ignorar o pessimismo. Desejo que vocês também possam fazer isso.

Beijos e até o próximo post! ^_^ 

Das pequenas alegrias | 38º Tanabata Matsuri

No domingo, dia 17 desse mês, eu fui ao Tanabata Matsuri ou, se preferir, Festival das Estrelas, que aconteceu no bairro da Liberdade (como não podia deixar de ser) e é o meu favorito dentre os festivais do calendário oriental e que contam com celebrações por aqui. Eu estava um pouco desanimada e cansada nesse dia, tanto que só cogitei ir quando já eram quatro da tarde, sendo que o festival acabava, em teoria, às seis.

12279178_1727584570807595_6468153948095636995_nO destaque desse evento – e que foi o responsável pela minha vontade de ir mesmo que no final – é o mito por trás de sua existência, o pedido feito para as estrelas. Vou colocar aqui um resumo da história pra quem ainda não conhece ou quer relembrar:

“Uma lenda oriental sobre um amor impossível conta a origem do Tanabata Matsuri, o Festival das Estrelas. A linda princesa Orihime, filha de um poderoso deus do reino celestial, se apaixonou perdidamente por Kengyu, um pastor de gado. Dedicados ao romance, eles deixaram de lado as tarefas e as obrigações diárias. Por causa da falta de responsabilidade, o pai de Orihime decidiu separá-los, obrigando-os a morar em lados opostos da Via-Láctea.
Sentindo a tristeza da filha, ele autorizou o casal a se encontrar uma vez por ano (no sétimo dia do sétimo mês do calendário lunar) com uma condição: eles precisavam atender a todos os pedidos vindos da Terra.”

Imaginem então a minha felicidade ao chegar na praça da Liberdade e encontrar tudo decorado de uma forma linda, com várias fitas espalhadas pela rua e muitos bambus pra amarrarmos os pedidos feitos para as estrelas. Esses pedidos funcionam assim: no dia do evento existe um espaço de venda dos tanzakus (pequenos bilhetes nos quais você escreve os seus desejos), você escolhe quantos e quais cores quiser e escreve seu desejos neles. São sete cores e cada uma representa algo diferente: o amarelo para o dinheiro, o azul para a proteção e saúde, o branco para a paz, o laranja para a felicidade, o rosa para o amor, o verde para a esperança e o vermelho para a gratidão. Depois de tudo isso feito, você vai até os galhos dos bambus espalhados pelas ruas e amarra seu pedidos neles.

13669220_697273643754449_865681005449416274_nNão sei se as outras pessoas também sentiram uma alegria como a minha, mas posso afirmar que a decisão de ter ido foi uma das melhores do meu dia e a recompensa não poderia ter sido mais mágica. É claro que muito desse quentinho que senti no coração tem ligação com a minha vida no geral e com os próprios sentimentos daquele dia, que não foi um dos mais contentes. Por isso fico extremamente grata pelo estímulo que as estrelas me deram naquele momento.

Só tenho um arrependimento: não ter levado minha câmera (nem com o celular eu estava!) pra registrar a beleza do lugar. Me lembrarei disso no próximo, sem dúvida!

13769579_1822428767989841_2291394463424626338_nBeijos e até o próximo post! E que seus desejos se realizem! (☆^ー^☆)


P.S.: O trecho que explica o mito foi retirado do evento criado no facebook e pode ser encontrado aqui.

P.S.2.: Eu precisava colocar imagens para ilustrar um pouco do que disse ao longo desse post, mas como no dia não tinha comigo nenhuma forma de registrar, acabei selecionando algumas fotos que encontrei pela internet, e cujos créditos são esses: primeira foto, segunda foto e terceira foto.